• Carolina Gonzalez-Berrios

Lidando com conversas difíceis

Traduzido pela colaboradora de WAGS, Fernanda Del Corona

Você pode encontrar esse artigo em inglês aqui.


Como estudante de pós-graduação, percebi a falta de um ingrediente essencial que não é ensinado a muitos de nós: ter e lidar com uma conversa difícil com outras pessoas (colegas, orientador, pesquisador principal, etc.).


Ilustração por: Amanda Buzzard

Na verdade, o que é uma conversa difícil e o que ela implica? É frequentemente definida como uma situação que se tornou desconfortável, precisa ser discutida, mas estamos preocupados com os pensamentos e sentimentos das outras partes em relação a ela. Em outras palavras, essa conversa é algo que provoca fortes emoções. Alguns exemplos do que é uma conversa difícil, mas que não se limita a isso: assédio sexual, sexismo, homofobia, racismo, microagressão e os comportamentos que estes acarretam.


Em minha experiência, descobri que não é uma tarefa simples ter uma conversa difícil. Isso porque a outra pessoa percebeu que era uma norma cultural oprimir as mulheres envolvendo-se em microagressões sob qualquer tarefa. Ou seja, eu descobri que ter uma conversa difícil é tanto enervante quanto, acima de tudo, intimidante.


Ainda assim, por que nos sentimos assim? Por que nos falta tanta confiança para dizer o que precisa ser dito? Pode ter a ver com não saber por onde começar, ou pode ser devido a não saber o que dizer de forma apropriada. Apesar disso, é realmente necessário ter conversas difíceis porque elas promovem um ambiente de trabalho saudável não somente para você, mas para os outros.


Aqui estão algumas dicas de como preparar e conduzir uma conversa difícil:


Escreva seus pensamentos

Escrever um esboço ou gravar um áudio de como e o que você quer dizer, isso ajuda no processo de organizar seus pensamentos e praticá-los.


Coloque-se no lugar do outro

Pode ser difícil entender a opinião da outra pessoa e isso exigirá esforço de sua parte. Uma conversa com um amigo próximo, colega de pós-graduação ou conselheiro pode ajudar a ver a situação de uma perspectiva diferente.


Defina uma data

Quando você define uma data e hora, você estará menos propenso a desviar de seu plano em ter a conversa. Isso obriga você e a outra pessoa a se sentarem e conversarem. No entanto, tenha essa conversa somente depois de ter tido tempo para analisar a situação e, certamente, não tiver suas emoções envolvidas. P.S. Faça isso em algum lugar privado!


Seja objetivo

Adicionar emoção na conversa pode prejudicar a tomada de decisões racionais. Isso é frequentemente referido como o “modo lutar ou fugir” (fight or flight mode). Tente respirar ou pausar se a conversa ficar intensa. Lembre-se, você consegue!


Seja conciso e exponha os fatos

Acredite ou não, menos é mais. Quando enchemos alguém com muitas informações, você pode perder o interesse da pessoa. Além disso, permanecer fiel aos fatos adiciona credibilidade. Como você pode fazer isso? Anotando datas, horários, pessoas envolvidas e onde tudo aconteceu em um diário.


Ouça e pergunte

Dê espaço para outras pessoas comentarem. Além disso, coloque-se como um ouvinte ativo. Isso significa que ouvimos atentamente o que está sendo dito e você: repete com suas próprias palavras e/ou reflete sobre o que foi dito e faz perguntas. Um exemplo disso é: “O que você está tentando dizer ...?” ou "Você quer dizer ...?" Isso fornece feedback sobre o que a outra pessoa está tentando comunicar: é eficaz ou é necessário um esclarecimento?


Ilustração por: Davide Bonazzi

Não ofereça uma solução

Frequentemente queremos uma solução específica. No entanto, precisamos considerar o que os outros estariam dispostos a fazer para resolver a situação. Se nenhum acordo for alcançado entre você e a outra pessoa, então outras pessoas (recursos humanos, mediadores, superiores, etc.) podem precisar se envolver.


Seja flexível

Podemos não obter a solução que imaginamos, mas ela deve, no mínimo, tornar o ambiente de trabalho mais saudável. Dê uma chance, você pode se surpreender, no bom sentido.


Próximos passos

Tente avaliar como estão as coisas depois de uma conversa difícil. As coisas mudaram? Caso contrário, busque orientação de um superior ou outras pessoas, como recursos humanos em seu local de trabalho.


Se há um conselho que posso dar é que ter conversas difíceis é importante e sempre vale a pena passar pelo processo.


Lembre-se, o objetivo de uma conversa difícil é promover um ambiente de trabalho mais saudável, onde não se presuma ou se espere coisas de outras pessoas que não foram discutidas.


Como resultado, você terá encontrado coragem para falar por si mesmo, mas também terá estabelecido limites para que os outros entendam o que você considera um comportamento aceitável.

6 views0 comments

Recent Posts

See All